Belém – Ibama encontra carne de tartaruga na bagagem de passageiro no Aeroporto Internacional

Tartarugas são espécies ameaçada que têm a captura, posse, transporte e comércio proibidos por lei


O Ibama apreendeu dez quelônios, provavelmente tartarugas-da-amazônia, sem carapaças e sem cabeças, neste domingo (18/11), no Aeroporto Internacional Val de Cans, no Pará. Os animais estavam escondidos sob peças de carne bovina em uma caixa de isopor. O dono da bagagem fugiu, ao perceber que os fiscais vistoriavam as bagagens do seu voo. Identificado por meio da companhia aérea, ele acabou multado em R$ 50 mil e responderá civil e criminalmente pelo dano à fauna brasileira.


O voo da TAM JJ3870 chegou à capital às 12h50. Os agentes do posto de fiscalização do Ibama examinavam as bagagens dos passageiros quando suspeitaram do isopor, com capacidade para 40 litros. Ao abri-lo, encontraram oito peças de carne acondicionadas em sacolas plásticas individuais e, sob elas, os quelônios, embalados em sacos menores.


O passageiro levava a carne de boi apenas para tentar enganar a fiscalização”, acredita o chefe do posto de fiscalização, o analista ambiental Luiz Paulo Albarelli. Segundo ele, o Ibama está avaliando qual foi a responsabilidade da companhia aérea no caso. “Não houve a verificação da carga e a empresa transportou os animais abatidos ilegalmente”, disse.


Incluídos no Anexo II da Convenção de Comércio Internacional das Espécies da Flora e Fauna Selvagens em Perigo de Extinção (Cites), os quelônios (tartarugas, tracajás, muçuãs, jabutis, entre outras espécies) são espécies ameaçada que têm a captura, posse, transporte e comércio proibidos por lei.


Os animais apreendidos serão doados ao Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Federal do Pará, para utilização no ensino e pesquisas, e a carne bovina, a entidades que desenvolvem trabalhos sociais em Belém.


 



 


http://www.ibama.gov.br

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.