Bataguassu – pescadores presos pela PMA com 650 metros de rede

Peixes que estavam vivos nas redes já armadas foram soltos no rio

A Polícia Militar Ambiental (PMA) prendeu na quinta-feira (29), no lago da Usina Sérgio Motta, município de Bataguassu, um pescador profissional e outro amador que praticavam pesca predatória. Com eles foram apreendidos 16 redes, que juntas totalizam 650 metros de comprimento, além de um motor de popa e um barco.


De acordo com a PMA, o pescador profissional, residente em Bataguassu e outro amador, residente em Presidente Epitácio (SP), foram abordados no momento em que estavam em uma embarcação armando diversas redes de pesca com tamanhos de malhas não permitidas.


No momento da prisão os dois homens já tinham armado seis redes de pesca com tamanho de malha 12 centímetros, cinco redes com malha 9 centímetros e duas redes com malha 14 centímetros, sendo este último, o único tamanho de malha permitido.


Vários exemplares de peixes que estavam vivos nas redes já armadas foram soltos no rio. Cada pescador foi multado em R$ 700,00 e os dois foram autuados em flagrante por crime ambiental de pesca predatória. Se condenados, poderão pegar pena de um a três anos de detenção.

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.