Artista busca motivar visitantes em exposição sobre peixes do Pantanal

Peixes do Pantanal
Peixes do Pantanal

O ilustrador Álvaro Nunes, responsável por todas as imagens do livro Peixes do Pantanal – Manual de Identificação, da Embrapa, está em Corumbá (MS) acompanhando a exposição dos desenhos originais que compuseram a obra. A mostra de 34 quadros acontece no saguão do Muhpan (Museu de História do Pantanal), no Porto Geral, até o dia 16 de outubro, sexta-feira.

Ali os visitantes poderão visualizar espécies como o dourado, o pacu, o bagre, a cachara e outras, que foram desenhadas pela primeira vez pelo artista há 13 anos, quando foi lançada a primeira edição do livro. No total, a obra traz 270 espécies de peixes.

Álvaro lembra que passou aproximadamente seis meses em Corumbá e preparou todas as ilustrações a partir de modelos vivos colocados em um aquário. “Elas eram trazidas quase sempre por um pescador para uma sala dos Recursos Pesqueiros da Embrapa Pantanal. Ali montei meu quartel-general, meu ateliê”, lembra.

Para o artista, é muito justo que a comunidade onde o trabalho nasceu tenha acesso aos originais. “Toda e qualquer informação decorrente de descobertas amplia a capacidade de reflexão do ser humano. Assim sendo, uma exposição é capaz de transformar e criar possibilidades novas ao indivíduo”, disse Álvaro.

Para ele, no momento da contemplação, via perplexidade criada pelo impacto que a obra possa comunicar, verdadeiras transformações podem ocorrer. “O simples ato de contemplar pode abrir caminhos de transformação, conduzindo o indivíduo a um mundo novo de onde virão novas amplitudes de crescimento psíquico, conseqüentemente, também provocando profundas transformações de mero espectador para agente transformador.”

O ilustrador espera que os visitantes da exposição possam se tornar verdadeiros interventores, motivados para produzir.

CARREIRA

Álvaro Nunes conta que participar do projeto na Embrapa Pantanal

Álvaro Nunes
Álvaro Nunes

(Corumbá-MS), Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, foi uma experiência extraordinária e muito proveitosa para sua carreira.

“Minha perspectiva como desenhista se alterou. Percebi que a observação na arte de desenhar tem sentido métrico mensurável. O desenho é a arte da mensuração. A pintura é a arte da inspiração. Um é racional e a outra, irracional”, afirmou.

O trabalho, segundo ele, permitiu materializar os dois postulados. Trabalhou com o lado esquerdo do cérebro para o desenho (avaliação numeral, análise meticulosa dos componentes estruturais da peça desenhada), usando um atributo de natureza racional. “O postulado crítico se tornou mais volumoso com essa descoberta.”

Álvaro disse que 50% do resultado final dependem do desenho. “Se esses 50% estão adequados a essas condições exigidas, em que se interpõe o numeral, os 50% restantes (pintura) vêm com mais facilidade”, explicou. Isso porque a elaboração do trabalho pictórico, o trabalho de dar animação a esses vetores estruturais (desenho) tem uma natureza ligada à esfera do sentimento. “Ou seja, a área do irracional, do desconhecido e que só pode ser realizada mediante o emprego de uma função chamada intuição”, disse o artista.

O ilustrador faz questão de destacar a intervenção do especialista Agostinho Catella, pesquisador da Embrapa Pantanal. “Sua perspicácia e conhecimento de causa, mais a sensibilidade para a arte foram decisivas na realização do processo que culminou em uma das obras mais significativas da ciência brasileira”, afirmou.

ASSOCIAÇÃO

Álvaro Nunes é vice-presidente da Associação de Ilustradores Científicos do Centro-Oeste, presidida por Zenilton Gaioso, da Embrapa Cerrados. A instituição está organizando para julho de 2010 o 3º Encontro de Ilustradores, que terá como tema o ecossistema Cerrado. O encontro terá exposições em Brasília, no Itamaraty, na Embrapa Sede e na UnB (Universidade de Brasília).

Ilustradores que queiram retratar a fauna e a flora do Cerrado poderão participar. Informações podem ser obtidas com o artista pelo e-mail aexnunes@uol.com.br.

Fotos: Ana Maio

Legendas:

1- Originais foram reproduzidos no livro Peixes do Pantanal, da Embrapa
2- Álvaro Nunes na exposição “Peixes do Pantanal” em Corumbá

Ana Maio
Jornalista – Mtb 21.928
Área de Comunicação e Negócios-ACN
Embrapa Pantanal
Corumbá (MS)

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.