Artesanato de pescadoras é atração no Seminário Internacional de Políticas Públicas para Mulheres Rurais

O Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) esteve presente no Seminário Internacional de Políticas Públicas para Mulheres Rurais. O MPA marcou presença mostrando a luta das mulheres que também trabalham e vivem da pesca para ajudar seus maridos na renda familiar ou pela preocupação com a comunidade que vive.

Trabalhando, principalmente, na captura de mariscos, no beneficiamento de produtos e na confecção e reparo de apetrechos de pesca, as mulheres, aos poucos, estão se impondo num setor que guarda uma cultura de preconceitos em relação a elas. Vencer as barreiras não tem sido tarefa fácil, principalmente porque somente agora, elas próprias estão se reconhecendo como pescadoras.

O MPA levou ao seminário representantes do seu Comitê Gestor do Programa de Apoio à Organização Produtiva de Mulheres Rurais. Entre suas principais atividades, estão a capacitação de mulheres em políticas públicas, edital para seleção de projetos, Feiras de Economia Feminista e Solidária. Outras ações do programa são os mapeamentos dos grupos e organizações de mulheres, estudos de acesso das mulheres às políticas públicas e apoio à comercialização através do Programa de Aquisição de alimentos (PAA) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

O Ministério da Pesca e Aquicultura, preocupado com o papel da mulher que cada vez é maior no setor pesqueiro, vem lançando diversos projetos e convênios para auxiliar associações formadas por mulheres de pescadores artesanais. No ano de 2008, foi firmado convênio entre o MPA e a Associação Arts Fish de Mundo Novo/ Mato Grosso do Sul.

Através desse convênio, foi repassado para a associação o valor de quarenta mil reais e com essa quantia a associação adquiriu seis máquinas industriais e mais quinze mil reais para curso de capacitação transformando a vida dessas mulheres que de atravessadoras passaram a produzir e vender suas próprias peças feitas do couro da tilápia. “Após esse convênio com o Ministério da Pesca e Aquicultura nossas vidas se transformaram. Somos agora profissionais capacitadas e felizes”, afirma a presidente da Arts Fish, Clací Terezinha Bork.

A Arts Fish é uma associação formada por dez mulheres aquicultoras familiares do território da cidadania Cone Sul, que trabalha no processamento do couro do peixe, gerando renda e melhoria de vida para as famílias envolvidas com a produção, industrialização e comercialização do pescado. A associação produz bolsas, cintos, adereços diversos preservando o meio ambiente e fortalecendo a autonomia econômica das mulheres com apoio das políticas públicas de apoio à produção das mulheres.

EQUILÍBRIO – A construção de um mundo mais equilibrado entre o rural e o urbano será discutida até sexta-feira no Palácio do Itamaraty, em Brasília, no Seminário Internacional de Políticas Públicas para Mulheres Rurais. O evento conta com cerca de 100 mulheres de 18 países diferentes e tem o objetivo de propor uma reflexão sobre o conteúdo, alcances, limites e os novos conceitos de políticas públicas para as mulheres rurais. A discussão deverá tratar da situação das mulheres camponesas e de suas novas demandas no âmbito das novas dinâmicas de desenvolvimento dos países.

O evento é realizado pela Assessoria Especial de Gênero, Raça e Etnia e a Assessoria Internacional e de Promoção Comercial do Ministério do Desenvolvimento Agrário, em parceria com o Ministério das Relações Exteriores e a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres. Os organizadores querem propiciar o intercâmbio de experiências e análise sobre os temas abordados e a realização de mesas redondas sobre políticas públicas.

Em todo o Brasil, 352.732 pescadoras profissionais estão cadastradas no registro geral de pesca do Ministério da Pesca e Aquicultura.

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.