Aqüicultura é tema de reunião em Itaipu


Buscar subsídios para implementar o plano de usos múltiplos do Lago da UHE – Lajeado, bem como acompanhar o desempenho dos projetos de tanque-rede. Este é o objetivo da reunião que acontece na manhã desta segunda-feira, 1º de outubro, na sede da usina, entre o vice – presidente do Naturatins, Melque Aires, o chefe da assessoria jurídica, Hércules Moreira, e a coordenadora de licenciamento ambiental, Ana Maria Franco, com o diretor de meio ambiente da Usina Hidrelétrica de Itaipu Binacional, Pedro Tonelli.

Após a reunião, a equipe do Naturatins fará uma vistoria junto com os técnicos de Itaipu na forma de implantação dos tanques-rede, áreas propícias para o desenvolvimento da atividade, área de abrangência e o desempenho de forma geral do projeto.


Essa é uma das demandas que teremos com a homologação do Plano de Uso do Lago, então resolvemos buscar mecanismos para subsidiar a implantação e distribuição dessa atividade em Lajeado”, salienta Melque Aires. “Acreditamos que o desenvolvimento desta atividade possibilitará um aumento considerável na geração de emprego e renda as comunidades do entorno”. concluiu Aires.

Além de somar informações para agregar, caso seja viável, ao Plano de Usos Múltiplos do Lago, o Naturatins pretende criar instrumentos jurídicos que normatizem a atividade de aqüicultura no reservatório.

As primeiras usinas com formação de lago artificial a implementar essa atividade estão no Ceará (Complexo Castanhão) e Paraná (Usina Hidrelétrica de Itaipu). Ainda está em fase de análise a implantação de tanques-rede em Tucuruí e outros reservatórios artificiais.

O Plano de Uso do Lago da UHE-Lajeado prevê, entre outras atividades, áreas para o desenvolvimento da aqüicultura e pesca em tanques-rede, atividade ainda não regulamentada no estado do Tocantins. Com a aprovação do plano, haverá uma grande expectativa na exploração, principalmente, por parte das comunidades impactadas diretamente com a construção da usina.

Itaipu

Pioneira na atividade de pesca em tanque-rede em reservatório artificial, Itaipu, como é chamada a maior hidrelétrica do Brasil, possui hoje o parque aqüícola de igual nomenclatura. Foram colocados 52 mil peixes juvenis em 164 tanques-redes, 36 adquiridos pela colônia de pescadores através do Pronaf Pesca, e o restante doados pela Itaipu.

Secom

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.