Aquicultura como instrumento eficaz na luta contra a fome e a miséria

Ministra Ideli Salvatti defende, no México, a aquicultura como instrumento eficaz na luta contra a fome e a miséria

A ministra da Pesca e Aquicultura, Ideli Salvatti, presidiu esta semana, a primeira reunião do ano dos países membros da RAA, Rede de Aquicultura das Américas, em Cancun, no México. O encontro contou com a participação de representantes dos 15 países membros da Rede de Aquicultura das Américas. Ideli Salvatti, também presidenta da Rede, destacou a importância da união do segmento da aquicultura e defendeu o maior número de intercâmbios entre os países para gerar mais renda, inclusão social e desenvolvimento sustentável. “Consideramos esta atividade econômica como um instrumento eficaz na luta contra a fome e a miséria, assim com uma alternativa estratégica para o desenvolvimento sustentável da nossa região”, enfatizou na abertura da reunião.

Ideli aproveitou a oportunidade e falou da importância da Rede na transferência de tecnologia entre os países membros: “estamos convencidos de que a cooperação entre nossos países, no âmbito da Rede, irá promover o acesso à transferência de tecnologias, a diversificação da produção e o aumento da renda oriunda da atividade aquícola. Para o benefício de todos os seus integrantes, a Rede de Aquicultura das Américas constituirá um mecanismo de cooperação para desenvolver os aspectos sociais, econômicos, científicos, tecnológicos e ambientais do desenvolvimento”, concluiu no discurso da reunião inaugural.

Números da produção aquícola no Brasil

“Devemos somar esforços e ampliar a abertura de novos mercados no cenário internacional. Cheguei ao ministério da Pesca e Aquicultura neste momento especial, em que já é possível verificar o avanço do segmento que, apenas no Brasil, pulou de 280 mil toneladas ano, em 2007, para 460 mil toneladas ano, em 2010, apesar da capacidade produtiva do setor aquícola ser muito superior a atual expectativa de fechar o ano de 2011 com números superiores a 500 mil toneladas ano, ressaltou Ideli.

A organização e a união do grupo são urgentes: estamos trabalhando em estudos e nas pesquisas com a proposta de incrementar o setor e atrair mais divisas para os países produtores. A troca de informações e cooperações técnicas foram os pontos altos do encontro. “O Brasil conta com uma costa de mais de 8 mil e 500 quilômetros, além da maior bacia de água doce do mundo e é fundamental o fortalecimento da Rede dos Aquicultores das Américas na troca de tecnologia e ações de capacitação entre os povos”, frisou a presidenta da RAA.

Brasil e México

Por ocasião da reunião do Conselho Diretor e Comitê Técnico da Rede de Aquicultura das Américas, a ministra Ideli Salvatti esteve na terça-feira (01/03), com o Comissionado Nacional para a Pesca e Aquicultura do México, Ramón Corral Ávila. “No encontro, foram identificados assuntos de interesse comum, tanto no campo da pesca como da aquicultura. Houve acordo em aprofundar uma agenda que envolve, entre outros, o tema da necessidade de diminuir o custo das rações, a tecnologia em cultivo de peixes tropicais, troca de informações sobre técnicas de monitoramento, técnicas de captura, produção de atum em cativeiro em preparação a uma reunião bilateral para estabelecimento de cooperação conjunta”, informou a ministra brasileira.

 

MPA

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

um comentário

  1. O Brasil tem as condições e a técnica para transformarmos o País num dos maiores e melhores produtores no setor da pesca e aquicultura do mundo, o que nos faltava era a seriedade e o comprometimento do Governo o que agora teremos com a nova gestão da Ministra Ideli Salvatti que se iniciou em 2011, participativa e atuante buscando sempre o desenvolvimento sustentável, a organização administrativa combinada com as melhores técnicas de governança, sempre na busca de alcançarmos os patamares ideais de qualidade e tecnológicos, culminando nos melhores esforços para a erradicação da fome.
    Alexandre Uriel Ortega Duarte (Conselheiro da FIESP /Conselheiro do CRASP e Vice-Presidente do IRB-Instituto Recupera Brasil)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.