Amazonas – filhote de peixe-boi resgatado

filhote-peixe-boiManaus – Mais um filhote órfão de peixe-boi (Trichechus inunguis) foi recebido hoje pela equipe do Ibama de Manaus, Amazonas. O filhote é proveniente do Rio Mataurá, afluente do Rio Madeira, no município de Manicoré, a 369 Km de Manaus, onde estava sob os cuidados de um servidor do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade – ICMBio, desde o dia 05 de março.

De acordo com informações obtidas pelo servidor junto à comunidade Santa Helena, localizada às margens do Rio Mataurá, o filhote teria perdido a mãe, possivelmente abatida por caçadores, e foi resgatado por um dos comunitários, Sr. Eraldo Carvalho Vasconcelos, que o manteve no porto da comunidade por 28 dias.

Em Manicoré não existem instituições que podem receber e cuidar de filhotes de peixe-boi. Por isso, o Ibama destinará esse filhote ao Instituto Nacional de Pesquisas do Amazonas – INPA, em Manaus, que possui um dos três criadouros conservacionistas de fauna silvestre aptos a manter peixe-boi, no Amazonas.

A distância entre Manaus e Manicoré e as dificuldades de acesso, inicialmente dificultaram a vinda do filhote; uma viagem de barco levaria aproximadamente 60 horas, o que acarretaria em muito estresse para o animal. Sensibilizada com essa situação, a Rico Linhas Aéreas permitiu ao Ibama realizar o transporte do filhote na cabine de vôo da aeronave, no colo de um passageiro, o servidor do ICMBio.

Esse é o quinto filhote de peixe-boi recebido pelo Ibama no Amazonas em 2009. Os animais vem de diferentes municípios: Coari, Atalaia do Norte, Silves, Humaitá e esse, de Manicoré. Um sexto filhote foi resgatado pelo Exército, no município de Itapiranga. Desses filhotes, quatro foram destinados para o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia – INPA, um para o centro de reabilitação de peixe-boi do Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, em Tefé, e outro se encontra ainda em Humaitá, com apoio da prefeitura daquele município. Mas, infelizmente, nem todos gozavam de boa saúde ou se adaptaram bem às condições de cativeiro, e dois deles vieram a óbito.

A ampla distribuição da espécie, as dificuldades logísticas para seu resgate e manutenção em cativeiro e o relativo alto número de peixes-boi resgatados este ano – em 2009 foram 9 durante todo o ano – denotam a necessidade urgente te integrar esforços entre órgãos ambientais e educacionais das três esferas do poder público, pescadores, pesquisadores, empresas privadas e população em geral, para que possamos reverter essa realidade.

O peixe-boi Amazônico é um animal dócil que vive só dentro da água; pode chegar a medir 3 m de comprimento e a pesar 450 Kg. Até os 2 anos de idade, ele é dependente da mãe. Essa característica aliada aos aspectos reprodutivas (gerar um filhote de cada vez e chegar à maturidade aos 4 anos) e à caça predatória, tornam essa espécie muito vulnerável, e por isso está na Lista das Espécies da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção.

Mais informações podem ser obtidas no Núcleo de fauna silvestre da Superintendência do Ibama no AM. (Tel. (92) 3613 3094, ramal 224).

Natália A. de Souza Lima
Nufas/Ibama/AM

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.