Alagoas – Batalhão Ambiental apreende rede de pesca predatória

Pescadores ‘infratores’ abandonaram material dentro d’água e fugiram por dentro do mangue

O Batalhão de Polícia Militar Ambiental, numa operação realizada no complexo Mundaú-Manguaba, na noite desta terça-feira (02), apreendeu quatro redes de pesca predatória, conhecidas como candangos, que provavelmente seriam usadas para capturar animais em período de defeso ou para resgatar peixes e mariscos de forma ilegal.

De acordo com a assessoria de comunicação da Polícia Militar, as redes estavam sendo instaladas por ‘pescadores infratores’, que abandonaram o material dentro d’água ao perceber a aproximação do patrulhamento aquático da PM e fugiram por dentro do mangue.
Candango

O candango é uma rede em forma de cone, que mede entre 5 e 10 metros de largura (inicial) e 15 e 20 metros de comprimento. Aos artesãos, as redes custam caro, variando os preços de R$ 800,00 a R$ 1.500,00, a depender do tamanho e do material utilizado para a confecção de cada uma.

Segundo a Polícia Militar, os candangos não são vendidos no comércio legal por se tratar de material que contraria o artigo 35º, inciso II da Lei Federal nº 9.605/98 – Lei dos Crimes Ambientais e também por ferir o artigo 1º, da Portaria 001, de 05 de abril de 2002 do IBAMA, que trata do mesmo assunto.

Apesar das buscas feitas pelos policiais do Batalhão Ambiental, os pescadores não foram localizados.

Gazetaweb – Janaina Ribeiro com Ascom/PM

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.