Acre – Governo do Estado já organiza a 2ª Feira do Pirarucu em Manoel Urbano


Primeira edição, em 2007, foi realizada com sucesso ampliando a renda das famílias que manejam lagos

O Governo do Acre já está iniciando os preparativos para realização da 2ª Feira do Pirarucu Manejado em Manoel Urbano nos próximos dias 1, 2 e 3 de agosto. A Colônia de Pescadores Z-07 vem recebendo sistemático apoio da Secretaria de Extensão Agroflorestal e produção Familiar (Seaprof) na realização da feira. No ano ano passado, o evento apresentou R$R$8 mil de saldo para cada família participante, resultado da venda de carne salgada e fresca. O quilo da carne salgada foi vendido a R$15 e da fresca, R$10. São parceiro da organização o WWF-Brasil e a Superintendência do Ibama no Acre.

Este ano as áreas com manejo de Pirarucu foram ampliadas de um para três lagos envolvendo seis comunidades que totalizam 62 famílias. Nos dias 23 a 28 deste mês será realizada a contagem visual de pirarucus nos lagos Antonio e Grande. O principal objetivo é avaliar a recuperação do estoque dos lagos e a definição da cota de captura, além do intercâmbio que unirá experiências do médio e alto Rio Purus. Deverão participar técnicos e pescadores da Reserva de Desenvolvimento Sustentável – RDS Piagaçu, Reserva Biológica Abufari, Colônia de Pescadores de Pauini, do Amazonas e Reserva Extrativista do Cuniã, de Rondônia.

De acordo com Carlos Leopoldo, chefe da Seção de Manejo de Lagos da Seaprof, a promoção destes intercâmbios mostram o nível de organização e conhecimento das técnicas de avaliação e manejo participativo que os pescadores e comunitários do grupo de Manejo de Pirarucu de Manoel Urbano conquistaram. Já o especialista em manejo de recurso pesqueiro, Marcelo Crossa, diz que “esta época do ano é ideal para realizar a contagem dos peixes porque o nível do rio está mais baixo e os lagos já se encontram isolados, facilitando a sua avaliação visual no que permitirá a determinação da quota de despesca para este ano“.

O manejo no principal lago em Manoel Urbano teve um incremento de 260% em apenas três anos de trabalho e que há uma instrução do Ibama proibindo a captura, o transporte, a armazenagem e a comercialização do Pirarucu em todo o Estado. Estão permitidos somente os produtos oriundos de piscicultura devidamente registrados, e acompanhados de comprovante de origem, ainda a pesca de caráter científico e a pesca proveniente do manejo de lagos

Fonte = Agência de Notícias do Acre

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.