Acre – Governo do Estado faz limpeza de lagos e rios no vale do Juruá

Primeira fase, limpeza dos sangradouros, está concluída. Próximo passo é limpeza dos lagos e limpeza do mato

O Governo do Estado está trabalhando na desobstrução de três dos mais importantes lagos do Rio Juruá: Tatajuba, Grande e o sacado da Nova Cintra, que abastecem várias comunidades ao longo do rio Juruá no município de Rodrigues Alves. A primeira fase do trabalho que é a limpeza dos sangradouros já está concluída. Hoje técnicos da Secretaria de Estado de Agropecuária (Seap) fizeram medições do trabalho já executado para fazer o pagamento devido.

Segundo o chefe do Departamento de Regionais da Seap, Mamede Dankar, em seguida será feita a limpeza no interior dos lagos, o corte do mato e quando o rio encher os lagos será a hora de tirar a vegetação que está atrapalhando a reprodução dos peixes pelos sangradouros.

Dankar explica que os três lagos foram indicados pelos próprios pescadores já que tinham histórico de grande produtividade no passado. “Com o tempo foram ficando cerrados. Vamos deixar os lagos limpos para que as comunidades possam reiniciar a pesca para sobrevivência e para venda.

Os recursos para o serviço que está sendo executado são provenientes de emenda parlamentar do senador Tião Viana – atendendo pedidos feitos pelos comunitários e pescadores – no valor de R$ 400 mil mais a contrapartida de R$ 45 mil do governo do Estado. A Seap terceirizou o serviço, contratando empresa para executá-lo. Ao todo, o projeto contempla a limpeza de 97 hectares de lagos e ainda a desobstrução de 80 km do Rio Juruá e afluentes. Segundo Dankar, a limpeza do leito dos rios será feita apenas no verão quando as condições são ideais para execução do serviço.

Na hora certa

Críticos do projeto andaram espalhando a desinformação de que o serviço estaria sendo feito na hora errada, o que é contestado pelo morador ribeirinho da Comunidade Nova Cintra, Ronaldo Cândido da Silva. Para ele o momento é oportuno, pois o rio está com pouca água o que facilitou a limpeza do sangradouros e daqui alguns dias quando o rio encher será a hora de tirar a vegetação cortada do lago.

Ronaldo mora há cinquenta anos na Nova Cintra e conta que nunca os lagos haviam recebido este benefício. “Há uns cinco ou seis anos quando o rio alagou a gente tirou uma parte do capim. No ano passado conseguimos um pouco de combustível e limpamos uma parte pequena. Só agora é que teremos um serviço completo. Com a limpeza desses lagos a gente melhora nossa alimentação. Só nesse assentamento aqui nós temos uma média de 160 famílias, então vai melhorar a alimentação” – disse.

Ronaldo explica que os pescadores e comunitários tinham boa vontade de limpar os lagos mas não tinham condições. E agora mesmo a empresa pagando as diárias, os moradores da região também vão dar sua contribuição. “Aqui se envolve a comunidade inteira. A gente mobiliza e o pessoal está com boa vontade de participar.

Ele, porém, alerta que a partir do momento que limpar, os lagos têm que ser conservados limpos e que há ainda mais lagos para serem limpos, mais à frente. Ele aponta o Lago Verde como exemplo da importância de ter lagos limpos, um lago que nunca cerrou e atualmente é o maior fornecedor de peixe para a comunidade. Ele contou que no lago Verde foi necessária apenas a limpeza do sangradouro, o que foi feito com ajuda do vice-governador Cesar Messias.

Trabalho e renda para comunidade

O representante da empresa que executa o serviço, Charles Guimarães dos Santos conta que a empresa contratou trabalhadores para execução do serviço na própria comunidade e entre os pescadores. “Os lagos são usados pelas comunidades e pelas colônias de pescadores então a gente pegou estas pessoas que já tem experiência e faziam antes o serviço sem recursos”. Ele explica que depois de limpo o sangradouro o mato é bem cortadinho para que quando o rio encher se possa empurrar a massa vegetal para dentro do rio. “Depois a gente tem que dar uma limpeza no sangradouro todo ano senão ele volta a cerrar” – disse.

O secretário de Agricultura de Rodrigues Alves, Anisio Barreto da Silva esteve presente verificando o trabalho feito e comentou que há uma preocupação do prefeito Burica pelo melhoramento dos lagos. “As pessoas sobrevivem desses lagos e a limpeza deles terá um impacto positivo tanto no aspecto social quanto no econômico” disse.

Anisio agradeceu ao governo do estado e ao senador Tião Viana por terem compreendido a importância dessa limpeza dos lagos e rios para as comunidades ribeirinhas e para os pescadores. “A cobrança sobre essa limpeza era antiga. Felizmente tivemos a compreensão do senador Tião Viana para com a demanda e o apoio das secretarias do Governo do Estado para atender este pedido” – disse.

Agência de Notícias do Acre

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.