A escolha de um bom lugar para pesca

Sinais ou situações que identificam um bom lugar para pesca:

Aves aquáticas : A existência de aves em um determinado local é um sinal da existência de peixes pequenos e certamente haverá também peixes maiores, principalmente os predadores, que deles se alimentam.

Ilhas ou pedras : É comum o acúmulo de organismos vivos em pedras. Muitos peixes se alimentam desses organismos e é nesses locais que pequenos peixes procuram refúgio. Logicamente que ali os predadores vão caçar. Portanto é um ótimo local para pesca. Nos rios, principalmente nas chamadas águas rápidas, é comum notar a formação de remansos junto ás pedras que ficam submersas.

Rios, canais e litoral : No mar os peixes trafegam pelos locais mais profundos, isto é: pelos canais do litoral. É ali que devemos procurá-los. Nos rios, a formação dos remansos indicam a existência de poços profundos, onde algumas espécies costumam ficar. E não é difícil constatar: basta observar as plantas aquáticas que ficam boiando na superfície. Em represas, use uma vara de bambu longa e vá tocando o fundo até descobrir o local de maior profundidade.

Árvores e paus submersos : Paus e árvores parcial ou totalmente submersos são outro sinal que deve ser observado. Nesses locais acumulam grandes quantidades de organismos vivos que atraem peixes pequenos e obviamente também os predadores com o Black Bass, Tucunaré e outros.

Margens com capins ou “capitubas” : Nesses locais que o pescador deve observar melhor em represas e rios. É ali que os pequenos peixes se refugiam dos ataques dos predadores, e também se encontram uma grande quantidade de outras espécies que tem o capim como fonte de alimentação. O capim também é responsável pela grande quantidade de insetos no local, e como se sabe, também serve de alimento para alevinos e pequenos peixes.

Árvores com pequenas frutas : Árvores frutíferas na beira de rios e represas também indicam segura presença de peixes no local, e um pequeno fruto caindo na água atrai peixes como o pacu, tilápia, etc. Isto serve também como dica para o próprio tipo de isca que o pescador deve usar. Exemplos: laranjinha, pitanga, coquinho, goiaba, jenipapo, etc.

Cursos d’água : É comum a existência de lagoas, córregos que encontram-se com os rios, onde nascem grandes quantidades de peixes. Quando esses peixes vão para o leito do rio através de corixos, lá encontram os predadores à sua espera. Os pescadores mais experientes sabem que o encontro das águas é o local ideal para a pesca.

Barrancos de terra firme : A presença de barrancos de terra firme nas margens dos rios é presença segura de poços mais profundos e é nesses locais que se encontram peixes de couros, como o pintado, jaú, barbado, bagre, etc. Se o pescador estiver a procura dessas espécies é ali que ele deve jogar o anzol.

Cachoeiras e corredeiras : Primeiro o pescador deverá saber se neste local a pesca está permitida, principalmente na época da piracema. Nesses locais os predadores atacam as espécies menores. Também algumas espécies como o dourado preferem águas rápidas. É ali que o pescador deve jogar o anzol. Também poderá usar os pequenos peixes como isca.

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

um comentário

  1. acabei de conhece o site e adorei agora podemos trocar ideias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.