1ª Conferência da Mulher pescadora em Rio Grande lotou o auditório da Promotoria

Maioria continua à espera do benefício que está sendo pago às mulheres pescadoras

Numa organização da líder feminina da Varzea, Cineladia Borges Caminha, com apoio da Prefeitura Municipal, através da sua Secretaria Municipal da Pesca, foi realizada na última segunda-feira, tendo por local o auditório da Promotoria Pública, a 1ª Conferência Municipal da Mulher Pescadora. O auditório contou com a presença de um grande número de mulheres, representando as várias localidades do Município, que lotaram completamente a dependência daquele órgão público.

A mesa de trabalho contou com a presença, além da coordenadora Cilanda Caminha, do titular da Secretaria Municipal da Pesca, Umberto Pinheiro; do chefe do escritório municipal da Emater, Celomar Mauch e dos presidentes das Colônias de Pescadores Z-1 e Z-2, respectivamente Hilário Borges (que também representou a Secretaria Municipal da Pesca do Rio Grande) e Carlos Alberto Simões. Na assembleia estava, também, a vereadora Maria Conceição Machado (PSDB), que prestigiou o evento.

Na abertura dos trabalhos, a palavra foi dada aos representantes dos órgãos presentes, onde o presidente da Colônia Z-2, Carlos Simões, salientou sobre a dificuldade que as colônias estão atravessando, e disse que, possivelmente, tanto a colônia de São José do Norte como a do Rio Grande não tenham muito tempo de vida útil, pela falta de incentivos, tanto a categoria dos pescadores como a financeira, que mal estão conseguindo equilibrar as responsabilidades de manutenção das colônias.

Carlinhos e Hilário salientaram que continuam trabalhando no sentido de amparar os pescadores, lutando por suas reivindicações, mas, realmente, não sabem até quando poderão manter esse trabalho, pelo total esvaziamento das colônias. Deixou claro a sua contrariedade quanto ao pagamento do auxílio defeso para a mulher pescadora do Rio Grande e de São José do Norte (onde algumas já receberam), mas uma grande maioria continua à espera do benefício que está sendo pago às mulheres pescadoras de Pelotas e São Lourenço do Sul, conforme frisou.

Posteriormente, vários dos presentes se manifestaram sobre o assunto, e a coordenadora Cilanda Caminha disse que recebeu comunicação oriunda de Porto Alegre, através da Regional do Ministério do Trabalho de que o assunto está sendo tratado naquela regional e que, até o próximo dia 23, acontecerá uma resposta.

Palestra de Rosângela Goulart

A Assessora do Departamento de Relações Institucionais e Legislativa da Secretaria de Políticas para a Mulher (ligada ao governo do Estado) Rosângela Goulart se fez presente ao encontro e, usando da palavra, disse que a 1ª Conferência Municipal da Mulher Pescadora estará colhendo subsídios, através dos anseios das mulheres pescadoras de São José do Norte, para serem levados à Conferência Estadual que está marcada para os dias 14 e 15 de novembro, na cidade de Tramandaí e, ali serão, também, colhidos os subsídios que oferecerão as condições do Rio Grande do Sul reivindicar durante a Conferência Nacional, marcada para Brasília.

Durante o encontro de segunda-feira, foram realizados trabalhos em grupos, entre as mulheres presentes com o objetivo de fortalecer o relatório que será enviado à Tramandaí.

Jornal Agora

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.